Pular para o conteúdo principal

Enfim, meu livro!

Quando comecei com essa minha mania de ficar escrevendo por aí, nunca imaginei que ia dar no que deu - o lançamento do meu primeiro livro -, por mais que eu desejasse isso.

Pois bem, tanto deu certo que, em breve, ele será lançado. Seu nome é "Falso Acaso".
E, como não poderia deixar de ser, vou contar como tudo começou. A ideia de escrever meu primeiro livro surgiu quando eu tinha 10 anos e ainda podia aproveitar meus dois meses de férias em Capão Novo. Como eu ainda era muito criança pra sair à noite, eu ficava escrevendo. Assim, num caderno de espiral cuja capa era um cachorro, escrevi o que, na época, chamei de "meu primeiro livro". A história ocupou o caderno todo, mas ele se perdeu em algum lugar do meu kitnet.
Então, lá pelos meus 16 anos, escrevi a primeira metade do que deveria ser (novamente) "meu primeiro livro". A história tinha um pano de fundo bem parecido com a do “Falso Acaso”, mas sei lá, era superficial, lugar-comum... Certo dia, achei que parecia novela mexicana do SBT e resolvi deletar tudo! Acho que fiz bem...
Com 19 anos, então, quando comecei a me compreender melhor, achei que, finalmente, seria capaz de escrever meu querido primeiro romance. Sim, eu precisava me conhecer melhor pra escrever melhor. Pelo menos era o que eu achava. Acontece que nessa tentativa insana de me traduzir, a única coisa que descobri é que não vou me descobrir nunca devido a essa minha tendência louca de me reinventar o tempo todo. E quer saber, isso é bom, pois se um dia eu me entender talvez eu pare de escrever, visto que, pra mim, a escrita é uma espécie de terapia da qual não terei alta jamais - e nem quero. Sendo assim, transformei algumas das descobertas e dúvidas sobre mim em ficção. Explorei-as através das descobertas e das dúvidas dos meus personagens em suas relações com os outros e consigo mesmos. Através dos meus personagens eu exploro alguns dos meus vários "eus".
Dessa enrolação toda, enfim, saiu "meu primeiro livro" de verdade. A ideia inicial, obviamente, foi totalmente modificada quando reorganizei meu organograma (sim, eu fiz um organograma) no computador. Foi ali que percebi que penso melhor enquanto escrevo e desisti de vez de pensar de forma esquematizada em um papel. Não consigo separar meu cérebro do teclado. Não adianta, coisas da modernidade... Como é possível concluir, a ideia surgiu enquanto eu escrevia, surgiu da simples vontade de escrever. Da vontade de escrever algo que falasse um pouco sobre mim, sobre os outros, sobre o que desconheço. Queria uma história que abordasse opostos, preconceitos, sentimentos...
Dos 19 aos 22 anos meu livro permaneceu guardadinho no meu pen drive, até que a divina Internet colocou no meu caminho, através de um zine virtual pro qual eu colaborava, duas pessoas essenciais pra fazerem isso acontecer, os escritores Alexandre Durignon e Jana Lauxen. A partir daí, mantive contato com os dois até que o Alexandre me pediu pra enviar meu livro pra ele, pois talvez, caso ele gostasse, ele poderia me indicar pra editora que publicaria o seu livro. Nem acreditei, mas ele leu, gostou, indicou e a Multifoco aprovou. E hoje, aos cuidados do Frodo Oliveira, meu livro está saindo do forno. Mas os agradecimentos eu deixo pra uma nova postagem, afinal, tem muita gente que merece um obrigado bem maior.
Enfim, em breve disponibilizo mais informações sobre o livro e sobre o lançamento... Por enquanto, só queria compartilhar essa notícia do meu jeito, ou seja, escrevendo mais do que o necessário! =)




Comentários

  1. Estou em stand by e desejando muito sucesso.
    Um dia tomo coragem e escrevo o meu 1º livro... Olha que fofo isso!
    Sucesso, heim!
    Bjks

    ResponderExcluir
  2. AI TÁSSIA, não sabia que tu escrevia. PARABÉNS, sério, que orgulhinho que eu to e vou comprar e ler em uma sentada.

    ResponderExcluir
  3. Tu sabes o quanto eu torço por ti e o quanto eu desejo o teu SUCESSO. É só o comecinho para outros lindos, valiosos e magníficos livros que virãoo.
    Amo- te!!
    Parabéns!!

    ResponderExcluir
  4. Genial, parabéns pela realização que orgulho de saber que isso era um sonho teu e se concretizou.
    Também tenho esse projeto, mas não cheguei aos 19 e muito menos me descobrir ainda, embora muitas coisas na cabeça me levem a escrever.
    Divulga o local e a dada certinho para lançamento, estarei lá sem dúvida para homenagiar não somente a incrível escritora, mas a amiga querida que tive a oportunidade de conhecer. Beijinhos!!! Meus parabéns novamente.

    ResponderExcluir
  5. eu tambem to escrevendo o meu primeiro livro e eu tenho 10 anos de idade ele se chama Magigsamigs

    ResponderExcluir
  6. bem na verdade ele se chama Magicsamigs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Feedbacks sinceros me interessam. Go ahead!

Postagens mais visitadas deste blog

O tempo passa, o tempo voa...

"Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar. Não deixe nada pra semana que vem, porque semana que vem, pode nem chegar." A Pitty falou tudo né? Quem sabe o dia de amanhã? Deus? Talvez. Não sou exemplo de organização, mas sempre procuro diminuir ao máximo minhas pendências. Só durmo se estou caindo de sono mesmo. Pois se ainda sou capaz de pensar, ainda sou capaz de fazer o que tenho pra fazer. As olheiras que se danem. Nem as disfarço (tenho preguiça).

Carrego sempre comigo um bloquinho de notas (cafonérrimo, a propósito). Nele vão tarefas que tenho que cumprir, trabalhos a fazer, lembretes, dicas de filmes e livros que recebo e, acima de tudo, idéias, muitas idéias. Deixar pra depois faz com que eu fique sobrecarregada, me estresse e acabe desistindo de muitas coisas. Por isso, me dedico muito aos meus "deveres" que eu mesma me imponho e vou riscando eles do bloquinho conforme vou cumprindo-os. Posso ter preguiça de lavar louça, mas meus textos, trabalhos …

Textos para Capricho (2 em 1)

Moda verão...qual a tendência de corpo pra próxima estação?O verão vem chegando e a as academias vão superlotando. Dois meses antes de ir pra praia, guris e gurias vão em busca do corpo perfeito. Meio difícil, pois o corpo perfeito não se atinge em dois meses e, às vezes, nem em anos. Talvez com muito silicone, suplemento, musculação e principalmente dedicação, mas não da noite pro dia. Isso se a moda for ser bombado (a) ou saradérrimo(a), é claro.Cuidado, o conceito de corpo perfeito varia em média a cada cinco anos. Não é só roupa que vira tendência, corpo também. Que tal se um ano após colocar seu silicone a moda vira seios pequenos, como nos tempos em que Cláudia Raia, Adriane Galisteu e Carolina Ferraz eram as tops? Nada muito improvável, afinal, no ano das mulheres samambaias, frutas e por aí vai, gostosas como Juliana Paes e Débora Secco estão investindo na próxima tendência: ser magérrima. Atualmente, estão pesando em torno de 47, 50 quilos. Corpo e moda tem tudo a ver. Ningué…

Entrevista: Carol Teixeira

LOUCA PELA VIDA
“Pessoas mesmo são os loucos, os que são loucos por viver, loucos por falar, loucos por serem salvos (...)”. Essa é uma parte de um poema de Jack Kerouac que Carol Teixeira tem estampado na parede de sua sala. É outra maneira que Carol encontrou de transbordar, como se não bastassem as frases tatuadas em seu corpo, escritas em seu blog e em seus livros. Carol é assim, transparente. Seu corpo, seu jeito, sua casa, seus livros, tudo é ela. A escritora e filósofa de 28 anos é autora dos livros “De Abismos e Vertigens” e “Verdades & Mentiras”. É colunista da Cool Magazine e dos sites http://www.lpm.com.br/ e http://www.queb.com.br/ e editora da nova Revista do Beco. Já escreveu peças de teatro, fez programas de rádio, participou de um reallity show, viajou pelo mundo, foi dona de bar, ama a noite, Nietzche, Caio Fernando Abreu, Fred e, acima de tudo, a vida.
Tu já passaste por três cursos: Jornalismo, Direito e Filosofia. Desististe dos dois primeiros seguindo firme com…